Home / A Verdade é Lógica / Uma resposta a meme

Uma resposta a meme

                 Este artigo tem por propósito responder a esta meme, que foi criada por uma pessoa visivelmente desinformada a fim de rebaixar a crença das Testemunhas de Jeová (TJs).

                 O autor desta meme é desinformado tanto a respeito da crença que professa defender, (i.e. trinitarismo e unicismo), quanto a respeito do entendimento que as TJs possuem.

Deus criou sua palavra, sabedoria e verdade?

(João 1:1) “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era um deus.” (Tradução do Novo Mundo 2015)

 

1) A Palavra

                 Antes de respondermos a isso, é preciso deixar claro uma coisa: As TJs não entendem que o Filho de Deus é literalmente a palavra de Deus. Na verdade, nem o trinitarismo entende assim. Quem entende “a Palavra” mencionada em João 1:1 como literalmente a palavra de Deus – algo, não alguém – é o unitarismo cristadelfiano e algumas vertentes do judaísmo messiânico, os quais não são trinitários nem unicistas. Estes acreditam que o Filho de Deus não existia antes de vir à Terra, mas que, pela palavra impessoal de Deus, Jesus Cristo foi gerado no ventre de Maria, não possuindo preexistência pessoal. Para estes, “a Palavra” mencionada em João 1:1 não é Jesus Cristo, mas literalmente a palavra de Deus – algo, não alguém. Sobre isso, veja o comentário de Duncan Heaster na New European Bible (Nova Bíblia Europeia):

“A Palavra” não pode se referir diretamente a uma pessoa, porque uma pessoa não pode estar “com Deus” e, ainda assim, ser Deus ao mesmo tempo. A palavra grega ‘logos’, que é traduzida como “palavra” aqui, não significa, por si só, “Jesus”. […] Quando Cristo nasceu, esta “palavra” foi transformada em uma forma de carne e sangue – “A palavra se fez carne” (João 1:14). Jesus era em pessoa “a palavra que se fez carne”, mas não “a palavra”; ele pessoalmente se tornou “a palavra” através do nascimento de Maria, mas não em qualquer momento anterior. (The Holy Bible: New Europian Version, with commentary by Duncan Heaster, p. 1746)

 

2) A Sabedoria

 

(Provérbios 8:22-30)Jeová me produziu como o princípio do seu caminho, / A primeira das suas realizações mais antigas. / 23 Fui estabelecida nos tempos antigos, / No começo, antes de existir a terra. / 24 Quando não havia águas profundas, fui produzida, / Quando não havia mananciais transbordando de água. 25 / Antes de serem assentadas as montanhas, / Antes de haver montes, fui produzida, 26 / Quando ele ainda não havia feito a terra e os seus campos, / Nem o primeiro punhado de solo da terra. 27 / Quando ele preparou os céus, eu estava lá; / Quando traçou o horizonte sobre a superfície das águas, 28 / Quando ele colocou as nuvens no alto, / Quando estabeleceu as fontes das águas profundas, 29 / Quando ele decretou ao mar / Que suas águas não fossem além do que ele havia ordenado, / Quando lançou os alicerces da terra, 30 / Eu estava ao seu lado como trabalhador perito. / Eu era a sua maior alegria dia após dia, / Alegrava-me diante dele todo o tempo.

 

                  Assim também, a “sabedoria” mencionada em Provérbios 8:22-30, a qual fora entendida pelos cristãos primitivos como uma representação de Jesus Cristo, se tomada de forma literal, assim como propõe o autor da meme, seria algo, não alguém. Se Jesus é a palavra/sabedoria eterna de Deus, então Jesus não seria alguém, e sim um atributo impessoal de Deus. Isso implicaria que Deus é uma única pessoa, não três, e que Jesus não teve existência pessoal antes de vir à Terra, tal como os trinitários e as TJs crêem.

3 – A verdade 

(João 14:6) “[…] Eu sou o caminho, a verdade e a vida […]”

                 Será que Jesus é literalmente “a verdade”? Não. A verdade é algo, não alguém. Assim como os outros dois pontos mencionados acima, se entendermos Jesus Cristo como sendo literalmente os títulos que ele recebe, teríamos que concluir que Jesus Cristo é um animal, pois a Bíblia o chama de o “Cordeiro de Deus”. (João 1:36) Obviamente, os modos como Jesus é chamado na Bíblia nem sempre tem a ver com sua identidade, mas com seus propósitos e ações.

 

A PALAVRA – EM QUE SENTIDO?

                 O filho de Deus é chamado de “a Palavra” não apenas no céu, mas na Terra também.

(João 1:14) “[…] a Palavra se tornou carne e residiu entre nós […]”

                 Assim, Jesus não deixou de ser “a Palavra” porque se tornou carne. Após sua ascensão aos céus, ele continuou sendo “a Palavra”:

(Apocalipse 19:13) “[…] ele [Jesus] é chamado de A Palavra de Deus […]”

                 Em que sentido Jesus é “a Palavra”? Na literatura cristã não bíblica, Justino, o Mártir, alegava que Jesus é chamado de “a Palavra” porque ele porta ou leva a palavra de Deus. [Leia este artigo] Na literatura judaica, Filo de Alexandria, contemporâneo do apóstolo João, dizia que o Logos ou A Palavra era o principal anjo, o primogênito de Deus, o maior dos seres intermediários. Para Filo, a Palavra era inferior a Deus, um segundo deus, não uma segunda pessoa de uma Trindade. Veja as imagens abaixo de A Liberal Translation of the New Testament, de E. HarwoodVolume 1:

 

                O texto de João 1:1 nesta tradução diz:

“Antes da origem deste mundo existia o LOGOS – que estava com o Deus Supremo – e ele mesmo era uma pessoa divina.”

                  A parte em sublinhado diz:

“[…] Filo fala da RAZÃO como um Ser inferior e subordinado ao Deus Supremo. ‘O mundo físico foi feito à semelhança do segundo Deus […] Ele também chama a RAZÃO de filho primogênito de Deus […]” – grifos do autor.

 

                 Não sabemos se o apóstolo João conhecia Filo. Ainda assim, os termos que João usou a respeito do Logos são idênticos aos de Filo¹. (Para mais informações, leia este artigo).

                 De qualquer forma, é mais coerente pensar que João usou o termo “a Palavra” no sentido de que Jesus é o meio de comunicação de Deus. Jesus disse que ‘conhece a Deus e obedece a Sua palavra’. (João 8:55) Isso faz com que Jesus não seja literalmente a Palavra de Deus.

(João 14:24) “[…] e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas pertence ao Pai que me enviou […]”

                 Conforme vemos na passagem citada acima, Jesus não é literalmente a Palavra de Deus no sentido de ser um atributo impessoal, e sim no sentido de ser aquele que porta ou leva a palavra de Deus, conforme Justino, o Mártir, propôs.

  

A SABEDORIA – EM QUE SENTIDO?

                 Assim como Jesus não é literalmente a palavra de Deus, ele também não é o atributo impessoal da sabedoria. A revista A Sentinela de 1ª de Agosto de 2006, declarou:

É apropriado retratar o Filho de Deus como a sabedoria, visto que foi ele quem revelou os propósitos e os decretos sábios de Jeová. (p. 31)

                 Podemos perceber que Jesus não era literalmente a Sabedoria de Deus porque a Bíblia diz:

(Lucas 2:52) “[…] E Jesus progredia em sabedoria […]”

                 O atributo impessoal da Sabedoria de Deus não pode “progredir em sabedoria”. Por quê, então, os cristãos primitivos entenderam que “a sabedoria” encontrada em Provérbios 8:22-30 é Jesus Cristo?

  (1 Coríntios 1:24) “Cristo [é] o poder de Deus e a sabedoria de Deus.”

                 A Sabedoria de Deus no texto de Provérbios é uma representação, não o atributo impessoal da sabedoria. Assim como quando lemos que Jesus é o “caminho” ninguém pensa que Jesus é literalmente uma estrada, quando lemos que Jesus é a Sabedoria não devemos pensar que Jesus é literalmente o atributo impessoal de Deus. Jesus é chamado assim porque é por meio dele que Deus age. Jesus é a criatura mais sábia de toda a criação de Deus.

   (Colossenses 2:3) “[…] ocultos nele se acham todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.”

A VERDADE – EM QUE SENTIDO?

                 Jesus disse que é “a verdade” porque ele é o único caminho verdadeiro para nos achegarmos a Deus.

 (Efésios 4:21) “[…] a verdade que está em Jesus […]”

                

                 Portanto, percebemos que o autor dessa meme foi muito infeliz em suas colocações, demonstrando vergonhosamente que desconhece sua própria crença e também a crença das TJs.

                 É importante sempre conhecermos a crença que decidimos refutar. Mais importante ainda é conhecer a nossa própria crença. No caso do autor da meme, ele não conhece nenhuma das duas.

Sobre O Publicador do Reino

Verifique também

Respondendo a objeções sobre o espírito santo # 1

Se a Bíblia diz que o espírito santo “falará o que ouvir”, como pode este …

2 comentários

  1. A tese defendida ao texto é, pois, plausível; bem elaboradas. Parabéns ao autor do blog A verdade é lógica por fazeres um ótimo trabalho em defesa da palavra de Deus, isto é, nosso criador, Jeová. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *